Quem sou eu

Minha foto
Escrever é materializar a imaginação.

Postagem em destaque

Caminhando...

A busca pela imortalidade é solitária e triste. Atryu

Stagran

Instagram

Seguidores

TRADUTOR

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Menino















Espinhos ardem cravados em meu coração que sangra sem parar, gotas espessas caem e tingem o chão pintando os sonhos que junto de ti sonhei.

Menino, você me fez flutuar nas loucuras de uma paixão afetuosa, andei sobre às nuvens que mais pareciam flocos de neve sobre as montanhas no inverno.
Menino, com beijos você me roubou a alma, com ternura me roubou a vida.
Ofegante mergulhei eu tuas promessas, de olhos fechados lhe dei meu futuro.
Menino, com você eu quis atingir o inalcançado, deixei meu sangue se misturar com o teu.
Doei-me sem reservas, fui tua, somente sua.
Menino, hoje ainda ouço sua voz que sussurra ao meu ouvido, vejo você nas noites que meus olhos não se fecham.
Te espero sentada na calçada deserta, na janela solitária, nas palavras dos poetas.
Menino, não demore, pois estou qual índia solitária, à qual olha para o mar esperando o barco apontar no horizonte.
Menino, não demore, minha vida tem horas, e os minutos não esperam...

Atryu.

Loucura



















Pela janela olho para o infinito,
Espero ver o teu rosto brilhando,
loucura ou amor, não sei!
Imagino o ranger da porta se abrindo, Imagino você chegando!
A paixão mudou meus sentidos,
Não quero mais o gosto doce do mel,
Não sinto mais a brisa fresca no vento,
Sei que você não virá,
Mas como uma doida, continuo esperando você chegar.

Atryu.

Escuridão













Entreguei-me humildemente aos teus encantos, cedi m'alma fascinada de desejos.
Você era a ponte que me tirava das trevas.
Você era a luz que preenchia a escuridão que me cercava,
Você era minha vida, minha alma.
Você se foi...

Atryu.

Sem identitade
















Sou a sobra do nada, a flor murcha em um jardim destruído,
Sou a dor murmurando, sou a morte chorando.

Atryu.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Saudade






















Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade.

Atryu.


quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Um pouco de mim.


















Sou do signo de Virgem...


Se você estiver procurando por uma secretária ou dona-de- casa perfeita, provavelmente deve procurar alguém de outro signo. O principal dom da mulher de Virgem é sua inteligência, não sua capacidade de organização. Se você encontrou o tipo de virginiana compulsivamente caseira e que tira pó três vezes por dia, está em maus lençóis, porque está diante de uma virginiana que usa os rituais para se esconder de grandes emoções explosivas.

Há muitas mulheres de Virgem que têm interesse por seus lares e gostam de um ambiente organizado e bonito. Porém, o que realmente importa é seu bom gosto, sutileza e compreensão. Ela também é fortemente perspicaz a respeito das pessoas e da vida. Mas, é claro, tem defeitos. A virginiana pode ser terrivelmente auto-suficiente e, muitas vezes, é difícil vê-la "casada" no sentido mais profundo da palavra. Existe uma parte da virginiana que é psicologicamente intocável e, se você tentar invadir esse espaço privado e secreto, é provável que você produza a mesma reação que teria se estivesse tentando roubá-la.

Mulheres de virgem não são do tipo cheio de apegos e necessidades. É mais comum reconhecer nelas um grau assustador de capacidade e de eficiência, tanto física quanto mentalmente. Falta de sorte, se você quer ser o Sol em torno do qual uma parceira lunar orbita. Pode ficar feliz em refletir sua luz.

A mulher de Virgem tem suas próprias idéias e opiniões e uma profunda necessidade de comunicá-las. Algumas virginianas falam tanto, que são capazes de fazê-lo cobrir as orelhas e começar a berrar só para parar aquele som. Pode ser que ela não esteja usando o famoso senso crítico virginiano, e sim falando tudo sobre o último livro que leu, ou comentando sobre o problema que teve de solucionar na sua programação de trabalho, ou analisando e dissecando psicologicamente alguma pessoa que escolheu ultimamente.

Se você está atrás do tipo belo e silencioso, esqueça. Virginianas também têm uma propensão enfurecedora de questionar seu conhecimento. Diga algo a ela e ela pedirá a fonte da informação com dados completos, incluindo notas de pé de página. Pessoas de Virgem não acreditam em ninguém até que tenham em mãos suas referências completas. É difícil saber mais que uma virginiana, pois elas absorvem o conhecimento como uma esponja na água. Isso pode ser uma maravilha para a sua elasticidade intelectual e um horror para o seu ego.

Algumas virginianas são do tipo Mãe-Terra e expressam a sensibilidade do signo no amor pela natureza e pela cura, e através de seu dom para todo tipo de trabalhos manuais. Essa necessidade de ser útil atrai muitas virginianas às profissões de auxílio, desde enfermagem até dietética, da psicologia e psiquiatria a vários tipos de cura alternativa.

O verdadeiro calor e luz de Virgem levam tempo para emergir por trás de sua frieza e desapego aparentes. Para uma virginiana, é difícil ser espontânea. É freqüente só conseguir demonstrar amor fazendo coisas práticas pelos seus seres amados. Emoções intensas são ameaçadoras e podem ser demonstradas somente em um clima de confiança total. Quebre essa confiança e você obterá a língua afiada e sarcástica de Virgem, que pode ser letal, porque ela esteve observando com um cuidado minucioso todas as fraquezas que você achava que ninguém estava notando. As mulheres de Virgem têm um hábito desconcertante de descobrir a manga rasgada cuidadosamente escondida e o tique nervoso que você pensava estar sob controle. Elas observam minúcias porque o aspecto mais amplo da vida se reflete nas pequenas coisas. As virginianas têm orgulho dessa capacidade e querem ser respeitadas pelas suas realizações.

Essa mulher irradia um ar misterioso que poderá soar como um aviso: "Mantenha-se à distância!". Na verdade, isso significa: "Bem-vindo, mas respeite meu espaço." A virginiana faz do exercício de ser ela mesma uma arte. Ela não irá adorá-lo cegamente. É mais provável que ela o ame pelas suas imperfeições, pois é realista e compassiva e gosta de se sentir útil e necessária. Se sua vaidade é importante para você, essa característica poderá assustá-lo e fazê-lo correr na direção oposta, ou essa poderá ser uma experiência incrivelmente inspiradora e refrescante de tornar-se o ser humano que você de fato é.


Sônia.



sábado, 1 de outubro de 2011

Esperança




















 Para os sensíveis o viver sempre será complicado, pois tudo o que acontece é sempre sentido com abundância. A vida vai passando, os fatos acontecendo, e nós experimentando tudo.
Somos maus compreendidos porque não sabemos controlar os sentimentos que dentro de nós se movimentam, sim eles se agitam... 
Lembro-me de um vulcão agora, sereno por um tempo, porém chegado o tempo certo, a grande explosão. Assim somos nós, os chamados - Sensíveis - Sei que isso incomoda as pessoas que convivem conosco, mas incomoda muito mais a nós mesmos, pois além de possuirmos as emoções na flor da pele, percebemos o que os outros estão sentindo também.

O mais difícil nisso tudo é saber e ter consciência de que, muitas vezes, estamos magoando as pessoas que nos amam, e sem ter forças para simplesmente parar, cometemos atos destrutivos, os quais saltam de dentro de nós como se fossem reflexos, sem ao menos pedir licença.
Isso tudo só é compreendido por indivíduos sensíveis, ninguém é capaz de saber ou imaginar o que uma pessoa sensível vive no decorrer de sua existência. Quando penso nas dores que já causei em outros não aceito meus atos, então já sinto a depressão chegando e na maioria das vezes nem licença solicita, é atrevida, enfia o pé na porta e entra com tudo.

Mal compreendidos, deixados de lado, atormentados...

Quando olho para o nada, eu sempre exclamo! Há como eu queria ser diferente, se eu pudesse seria como uma pedra, pois assim não perceberia nada!

Hoje olho para quase tudo que já se passou em minha insignificante existência e penso...
A vida passa velozmente, ontem eu era uma menina que andava de balanço, hoje sou uma pessoa cheia de dores e quase sem serventia... Então percebo que não vivi a vida como deveria, concluo que quase tudo que fiz poderia ter sido melhor, e novamente aquela sensibilidade...

Desta maneira vai acontecendo, os anos chegando, à vida passando, tudo tão depressa!

Em certa ocasião um artista disse que havia me desenhado, quando olhei o desenho fiquei irritadíssima, não sabia o porquê de tanta irritação, entretanto hoje eu sei.
Ele me colocou presa dentro de uma torre bem alta, onde eu olhava para o céu, em meus olhos havia aparentemente alegria, entretanto não era alegria, ele sem saber pintou minha alma, uma criança sem inocência, meu olhar me denunciava, eu estava presa em um passado triste, o qual havia me roubado a alegria de viver.
Na pintura a menina olhava para o céu e os pássaros que voavam. Hoje sei que ela almejava a liberdade. Cobiçava ser como eles, livre...
Na época não conseguia decifrar a pintura, mas hoje eu vejo claramente que ali estava uma menina com alma de mulher, uma menina que carregara para sempre sua inocência perdida.
Dizem que os artistas enxergam diferente das outras pessoas, eu sempre cri desta maneira, e hoje posso compreender o porquê aquele pintor passou em minha vida, foi para me dizer que eu não estou sozinha nesse mundo cruel onde os sensíveis também coexistem. É bom saber que não estamos sozinhos, isso nos dá certo conforto, e nos tira um pouco o sentimento de solidão.

E como a menina da torre, eu continuo com o mesmo desejo...

Queria ter asas como um pássaro para voas nas alturas e assim olhar tudo com outros olhos e esquecer esse mundo cruel, o qual fui compelido a aceitar!
Minha esperança, sim eu ainda tenho esperança, quem sabe minha vida na morte será mais feliz... Espero.

Atryu.







sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Eterno















No mais alto monte eu subirei, mesmo não tendo asas eu voarei... Um dia novamente te amarei...
Nem o ódio da humanidade inteira teria forças para submergir um amor tão verdadeiro quanto àquele que nasce em um coração cheio de sonhos.
Tempos vividos e percorridos pela eternidade serena das canções, caminhos pisados pelos ritmos mais intensos no encontro das notas musicais, entrelaçados pela canção dos anjos na língua, a qual somente um ser divino poderia compreender, foi ali, naquele fragmento de tempo que aconteceu a união dos corações separados.
Incompreendidos por todos, escondido nas profundezas dos oceanos dos segredos, vivido a cada amanhecer pelas aspirações em que somente o amor traz à existência.
Encontro que pode acontecer uma vez em cada século, ou apenas uma vez em milhares de milhões de séculos, se é que os séculos existem...
Duas vidas que se precisam, que se carecem, separadas na distância dos tempos, esmagadas pelo ciúme daquele que devora os sonhos e decompõe os sentimentos.
Sonhos rompidos, corações abstraídos, solidão..., Porém, no mais alto monte eu subirei, mesmo não tendo asas eu voarei... E um dia novamente te amarei.
Nesse dia a música será tocada, a canção será cantada..., A dor evadirá da presença dos amores feridos, dos corações sofridos..., A altura será alcançada e a leveza dos sonhos se transformará em luz fulgente, e eu verei teu rosto novamente, para sempre...
No mais alto monte eu subirei, mesmo não tendo asas eu voarei... Um dia novamente te amarei e para sempre te terei..

Sol.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Você é



Você é… Como uma ilha perdida Nunca tocada por mãos humanas…

Beleza surpreendente como uma flor que nasce no campo.
Tem cores que brilham…
Misturadas na porção ideal, às quais somente um artista saberia criar.
Teu jeito malandro de se apresentar com os cabelos soltos ao vento, faz-me lembrar dos dias de verão…
Dias de chuvinha gostosa sobre a terra vermelha…
Aroma forte de natureza de terra gaúcha!
Sinto teu perfume nessa hora!
Cheiro gostoso de homem… Homem sem frescura!!
Homem como Deus criou…
Livre dos adornos artificiais, livre… Onde é expresso um rosto bem definido.
Rosto, o qual traduz masculinidade atraindo o olhar… O olhar feminino…
O meu olhar.
Rosto belo como a noite quando está enluarada e repleta de estrelas,
Belo como um jardim enfeitado… Enfeitado com flores exóticas, Flores em extinção…
Você é lindo como um pomar cheio de frutas, cada qual mais cheirosa!
Aquelas que dão água na boca…
Abrindo o apetite até mesmo de quem está saciado…
Lindo como um animal selvagem que corre nas serras verdes aproveitando a liberdade…
Liberdade que só tem quem não se deixa aprisionar pela cobiça.
Lindo como um pássaro simples e comum,
Mas que sua fêmea se encanta com seu canto, e cede seu corpo para ele a possuir…
Lindo… Simplesmente lindo.


Sofhia.




Você…


Você… Algo inexplicável quando penso…
Meu  coração se dilata para guardar a lembrança que vem de você.
A tua presença ocupa todo o espaço que existe dentro de mim, pois todo o tempo que há em um dia e uma noite não basta para eu pensar em você.
Nunca antes existiu um sentimento tão forte quanto este que agora admito… O amor…
Desisti de resistir e deixei explodir esse amor o qual se mistura com meu  próprio sangue, trazendo-me um pouco mais de vida, a qual agora faz sentido para meu entendimento.
Vida que só pode conhecer, a pessoa que ama desta maneira…
Sempre neguei, até não aguentar mais, mas agora me entreguei e para sempre vou te amar.
Se vou ter você em meus braços um dia, não sei… Não vou pensar…
O que sei é que você já faz parte de mim,você ocupou o espaço certo que estava guardado para ti.
Te encontrei sem precisar procurar, a realidade é que a vida toda te procurei…
No momento oportuno você chegou, fazendo-me aceitar o sentimento que sempre recusei a sentir, não digo que compreendo, digo que ele está aqui, pois ele só poderia nascer dentro de minha alma, quando todo o meu  individuo tivesse certeza que o que faltava para eu me sentir completa, seria a minha outra parte…
A qual encontrei em você…
Atryu.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Quem ama confia,?.!




Pensando nesta frase tão escrita e dita por muitas pessoas, eu concluí que a confiança não é uma aliada ao amor, já que, quando estamos apaixonados e amando, nos tornamos vulneráveis a tal de confiança. Uma pessoa apaixonada se torna frágil, o amor faz com que as pessoas desconfiem do seu querido amor. O amor gera medo, o grande medo de não sermos bons o suficiente para a pessoa que amamos. Então como podemos dizer: QUEM AMA CONFIA? Na realidade, no cotidiano da vida, o que vejo e presencio, é a grande dificuldade que as pessoas têm em confiar na pessoa amada.
O amor é maravilhoso quando os dois envolvidos trocam palavras de carinho, porém é um sentimento terrível quando a desconfiança assume seu lugar. Acredito que, o amor verdadeiro, aquele que vem junto, misturado com a paixão quando ela chega e abate duas almas, aquelas que muitos dizem ser “almas gêmeas”, ele, ou constrói um castelo indestrutível, ou destrói as almas envolvidas para sempre.
O amor conversa baixinho com a confiança, porém a confiança é surda quando está apaixonada. O amor torna o coração muito anêmico, alguns são tão sensíveis que qualquer brisa é capaz de destruir como uma tempestade avassaladora.
Será que quem ama confia mesmo?
Cá comigo, é bem provável que quanto mais amamos, mais desconfiamos. Então como viver um grande amor sem destruir a pessoas que amamos com nossa desconfiança?
Imagino eu, não posso dar conselhos a ninguém, pois ainda não cheguei a um denominador comum como nas exatas chegamos. Acredito que a desconfiança caminha ao lado do amor, mas os envolvidos neste paradoxo sentimental, para poderem viver esse amor, o qual acontece com algumas pessoas apenas uma vez na vida – devem aprender a dominar suas emoções - já que o amor e a desconfiança são sentimentos contrários, mas que andam lado a lado!!!
Quem ama confia,?.!
Às vezes sim, outras não!! E isso faz doer o coração!

Sofhia.



terça-feira, 26 de abril de 2011

Reflexão




O tempo faz a gente pensar, hoje resolvi escrever um pouco, pois já faz alguns dias que eu ando com vontade de soltar minhas emoções por meio das palavras.
Quanto mais maduros ficamos, mais aprendemos, hoje entendo aquele ditado popular, “ Quando o homem começa a saber algo ele já está velho, e quando aprendemos algumas coisinhas já é hora de partirmos”.
Às vezes pensamos que as situações em que estamos vivendo vão nos destruir, mas após algum tempo percebemos que tudo na vida passa, até mesmo aquilo que parece que nunca irá passar. O tempo realmente é nosso amigo! Vamos caminhando na jornada da vida e olhamos os fatos que em certos momentos nos esmagavam, mas logo depois são apenas lembranças dolorosas.
A vida é algo complicado mesmo, pois hoje temos sonhos, planejamos e até sentimos as emoções que nos fazem sorrir olhando para um futuro, mas logo ali na frente às mesmas emoções que antes nos fizeram sorrir e chorar, hoje nos dão uma sensação de fracasso. Fico olhando para minha vida e percebo que quase tudo que desejei, na maneira que criei em meus pensamentos, nada se concretizou, na realidade as coisas foram acontecendo, penso que o sonho é apenas um sonho, os sonhos são melhores antes do futuro chegar, pois alguns até se realizam, mas a emoção de senti-los quando eram apenas sonhos, são melhores que a realidade de quando acontecem.
Penso que a vida é uma grande ilusão criada em nossa mente. A única coisa que importa é o final de tudo. A felicidade é procurada dia-a-dia, corremos atrás de tantas coisas pensando que ali nos sentiremos felizes, porém quando chegamos ali, no ponto certo, notamos que ainda não estamos satisfeitos.
Depois dizem que eu sou complicada!  Mas raciocine comigo:
Tudo o que queremos sempre está no futuro, nunca no presente, e só percebemos que o presente foi bom e feliz quando já se tornou passado! Que coisa bem complicada é a vida...
Mas é assim mesmo, tudo o que eu espero é que lá em um lugar do futuro eu possa ter essa satisfação que minha alma tanto anseia, espero que um dia eu possa me sentar e dizer - Hoje encontrei a felicidade plena – então acredito  que naquele dia eu poderei dizer: A vida valeu a pena!!
Espero que esse dia chegue e seja no meu presente.


Sol.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Um presente no passado



















A alegria foi tão intensa que perdi a noção de tempo, apenas vivi o presente que havia chegado.
Hoje olho  para aquele presente lá no passado e tudo torna-se uma incógnita para mim, pois, como pude me desligar do passado e do futuro e viver apenas o presente?
Tento responder essa pergunta para mim mesma... Acredito que aqueles dias foram um presente de Deus, pois não sinto arrependimento e nem culpa...
   Apenas sinto saudade do dia que pela primeira vez, o qual lembro, eu vivi o presente sem pensar no passado ou no futuro. Aquele presente foi eternizado, pois eu o vivi, e senti a felicidade presente em um presente que a vida me proporcionou.
Maravilhoso aquele presente, o qual hoje é apenas um passado presente no meu presente.

Atryu.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Crepusculo



















Escureceu lá fora...
O crepúsculo traz junto dele uma temperatura agradável depois de um dia de verão escaldante.  
Tudo aparentemente se torna calmo, porém ouve-se o berro estridente do silêncio que grita sem dar trégua... Sem respeitar limites...
Visões atormentam e invadem sem pedir licença...
A noite torna-se negra, longa e cheia de pesadelos, os quais insistem em fazer companhia aos corações solitários.

Sofhia.



Felicidade














As notas são entoadas uma a uma com intensidade.
Soa ao ouvido a melodia nostálgica que faz a memória reviver momentos de prazer e alegria...
A música continua cada vez mais intensa, faz a alma acariciar um passado que se faz presente.
Convida, repetidamente, o coração a amar novamente!
Os amantes revivem um momento singular...
Sentem felicidade na ilusão que um coração triste constrói a partir de  um fragmento de lembrança, revestida de uma alegria criada na esperança...

Sofhia.


Felicidade



Rumores ouvidos...

Dizem que a felicidade é um estado,
Porém -" estado" - o qual muitos não conseguem jamais chegar,
Pois buscam por toda uma vida, algo que, só na morte conseguem alcançar.

Sofhia.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Olhar
















Olhos tristes fixados lá fora,
Onde a lua cheia ilumina a cidade.
A escuridão atemoriza e enche de dor a solitária pessoa.
Mensagens melancólicas ousam desafiar a alegria, que na dificuldade de cada dia rodeai a alma, a qual vive por trás dos olhos, que pela janela, tristes olham.

Sofhia.