Quem sou eu

Minha foto
Escrever é materializar a imaginação.

Postagem em destaque

Caminhando...

A busca pela imortalidade é solitária e triste. Atryu

Stagran

Instagram

Seguidores

TRADUTOR

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Perdida...















SEM VOCÊ,
                  
                    SEI  VIVER

                                        NÃO SEI MAIS ESCREVER...

Sem você na confusão do tempo



















Tempo bandido, amigo, inimigo... Trouxe e levou você de mim...
Tempo querido, desejado. Tempo perdido desgraçado. Tempo de paixão de ilusão, de desunião, foi tudo em vão...

Uma música estranha me trouxe lembranças, as quais vivi há algum tempo atrás... Fiquei ali escutando e deixei meu pensamento voar...

Olhava para aquela cama e via teu corpo de pele branca deitado sobre lençóis sujos pelo nosso amor, ardia dentro de mim um fogo tremendo ao contemplar tuas curvas firmes que faziam eu delirar apenas em apreciar.

Toquei teu corpo novamente depois de tantos meses de saudade...
.
Fiquei confusa, pois não sabia se ficava presa naquele devaneio tão gostoso ou voltava para esse tempo triste em que sobrevivo.
Lutei um pouco com meus pensamentos, mas sem espera me entreguei nos teus braços suados, os quais me apertavam contra seu corpo perfeito e cheio de paixão... Fui amolecendo aos poucos e entrei na ilusão.

Beijos molhados e chupados eu recebi.
Abraços enfurecidos por amor enlouquecido eu revivi.

Minhas pernas me seguravam contra teu corpo macio e febril, que com movimentos frenéticos traziam a lua até mim.... Eu sentia teu perfume, teu cheiro selvagem que embriagava meus sentidos e faziam-me gemer como se uma dor terrível estava sofrendo, tua mão forte agarrava-me e me segurava sem dó...Ali eu me submetia aos teus desejos mais secretos...
Fui até ao céu e voltei por muitas vezes, enquanto tua boca percorria meu corpo já quase sem forças. O teu suor se misturava ao meu, teus cabelos grudavam em mim e atiçavam ainda mais os meus delírios, coisas ocultas eu senti e tudo em segredo eu vivi.

A música continuava tocando e aos poucos fui voltando para o tempo bandido... Tempo amigo, inimigo... Pois trouxe e levou você de mim...
Tempo querido, desejado. Tempo perdido desgraçado. Tempo de paixão de ilusão, de desunião, foi tudo em vão...


Sofhia.




quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Sem intervalos

         
















Todo dia!
            
               Toda hora!
                          
                               Todo minuto!
                                            
                                               Todo segundo.
                  
Durmo!
          
          Acordo!
                  
                    Em todo tempo!
                          
                                        A todo momento!

E você SEMPRE no meu pensamento...

Atryu.

Sentimentos

















Olhei
Pasmei
Me apaixonei

Sorri
Sofri
Perdi

Ainda quero você pra mim...

Chorando
Amando e sonhando
Assim vou andando...

Durmo com você no pensamento
Sinto você ao meu lado por um momento
Acordo!!!
Ai que tormento...

Atryu.



terça-feira, 28 de setembro de 2010

??????????????????????????????


















Sei 
     Que,
             Infinitamente te amei,
Infinitamente te amo,
            Infinitamente te amarei, 
Só não sei 
           Como sem ti viverei!
Será que aprenderei ?
           Tentarei..

Atryu.

Ponto final




Sussurros eram ouvidos há quase todo tempo, porém outra vós falava delicadamente ao meu ouvido, por momentos eu  escutava os gritos forte que as vozes cantavam , a melodia era linda como o canto das sereias. Meu coração quase saltava para fora do peito, me deixava numa excitação tão forte que meu corpo todo respondia aquela paixão incontrolável.
Não sei por quanto tempo ao certo, mas eu ficava hipnotizada pelas cantigas que a vós lançava ao pé de meu ouvido, no entanto eu pré-sentia alguma coisa errada naquilo tudo, meu coração não tinha paz, eu oscilava entre a fantasia enfeitada com lindas cores e a verdadeira realidade para a qual eu fui criada.
O tempo passava e eu era arrastada pelas correntes pesadas...
Tudo era posto diante dos meus olhos, mas mesmo assim eu queria sonhar com a fantasia a qual me iludia sem escrúpulos algum. Meus interior gritava na intenção de me alertar o quanto eu estava errada, porém eu estava apaixonada...Por isso não ligava, não me importava.
Quase deixei meus sonhos se transformarem em devaneios, fui tão longe que a volta se tornou terrível a ponto de pisar meu corpo inteiro.
Andei por vales escuros, descia cada vez mais fundo. Eu percebia, mas não queria aceitar aquilo que eu sempre soube... Tudo era claro para mim, mas para minha vergonha eu preferia a escuridão.
Quando estava totalmente em trevas densas, quando minha visão só enxergava a ilusão, então o meu Amigo me sacudiu, olhou dentro dos meus olhos, onde minha alma se escondia do mundo vil e disse carinhosamente: Você não precisa de olhos para enxergar...  Você tem a mim que olho por você, tuas lágrimas eu vi, teu pranto eu ouvi...
Deixei você andar na escuridão para que você pudesse sentir saudade de Mim, e quando esse sentimento estivesse equilibrado dentro de ti, Eu seria tua única esperança! Eu sempre soube do teu verdadeiro sentimento, sempre soube do teu amor por mim, você é quem ainda não sabia...
Quando você gritava sozinha em seu esconderijo secreto eu estava ali do seu lado ouvindo em silêncio, quando você pensava e se entregava à ilusão perversa eu sentia ciúmes, porém eu sabia que você me amava, pois eu conheço tudo que existe dentro do teu peito, e com paciência eu te esperava...

Pois o amor é paciente, tudo sofre, tudo perdoa...

Deixei você cavar tua própria cisterna e vi você bebendo de fontes sujas, mas eu sabia que no dia marcado eu teria você em meus braços novamente, e não precisei deixar você ir muito longe não, pois você sentiu minha falta e voltou correndo pedindo socorro...

O poço em que você entrou era fundo e sem fundo, mas eu entrei com você e andei com você por todos os vales, cada pedra que machucou teus pés eu sentia em mim a tua dor, e no momento exato você gritou por meu nome... Foi aí que eu te arranquei dos braços da escuridão, pois lá não é o teu lugar, teu lugar é ao meu lado, fui Eu quem te gerou e só Eu sei o que você realmente sente.
Ninguém vai tirar você de mim, porque teriam que Me destruir para destruir você!
Sou teu amado e você é minha, ninguém poderá desafiar-me... Meu amor é teu você é minha para sempre.

O labirinto acabou!
E ponto final.

Atryu.




segunda-feira, 27 de setembro de 2010

De Mansinho


Hoje abri a janela e vi que a primavera havia chegado, eu já não lembrava  o quanto ela era bonita, o inverno foi tão rigoroso que tive medo de sair, mas aos poucos fui colocando o rosto para fora, espiando tudo de mansinho...
Abri minha janela devagarzinho e deixei o sol tocar novamente em meu rosto, agora já com sinais de um tímido sorriso...
Fiquei horas olhando para rua onde notei as crianças que brincavam...Ouvia o som que o vento trazia do sorriso dos pequenos... Senti uma pontinha de inveja e desejei ser criança novamente.
Lembrei do gosto do algodão doce, da pipoca com melado das balas de goma que tanto eu comia. 
A brisa suave insistia em me dar às boas vindas, me convidava para passear sobre as árvores floridas e enfeitadas com cores vibrantes.
Senti-me um pouco constrangida com o convite tão amável e acabei deixando-me levar... Fui até os montes bem altos... Com os olhos fechados eu vi coisas lindas... Entendi que não é preciso ter olhos para poder ver coisas belas, pois tudo pode ser belo quando deixamos o inverno de lado e abrimos o nosso coração para a vida.
Senti meu rosto corar quando um passarinho beijou meus lábios... Senti que o amor estava não nas coisas que queremos, mas nas que não percebemos!  Então eu sorri...
Fiz um suave carinho em uma flor cor-de-rosa que me olhava com seu olhar delicado, dei um abraço em uma nuvem branquinha que passeava por perto, beijei o rosto de um beija-flor, o qual me olhava com carinho.
Passei alguns instantes pensando naquele momento mágico que eu estava novamente experimentando.
Observei tudo em minha volta e junto com o final do dia fechei minha janela e voltei para dentro conversar comigo mesma...

Atryu.