Quem sou eu

Postagem em destaque

Encontro

As mãos suadas, o coração batendo forte, a emoção à flor da pele! Lá estava ele, a poucos degraus abaixo, qu...

Stagran

Instagram

Seguidores

TRADUTOR

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Lutar e vencer

Bem fundo, dentro da escuridão mais intensa, há um pingo de esperança, esse desejo me faz , às vezes caminhar, outras vezes me arrastar, mas em alguns poucos momentos me faz correr e até mesmo voar. Nessa estrada desconhecida e cheia de obstáculos eu me encontro com variados inimigos, porém cada vez que sou atacada e o venço, recebo suas forças como recompensa. Portanto, lutar e vencer é um objetivo, pois após todas as batalhas vencidas terei a recompensa tão desejada.

Atryu.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Apaixonados

E quando estávamos bem, eramos como crianças e juntos tocávamos o céu...

Atryu.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Paixão










O desespero leva o ser humano a linha tênue do desequilíbrio mental. Um lugar perigoso onde os envolvidos farão parte de um jogo maléfico e destruidor. Não existe coerência para quem está experimentando a paixão avassaladora, pois a situação é totalmente nova, causando medos e indecisões.Tudo é intenso, a alegria e o prazer são sentimentos que levam a pessoa ao céu, porém em poucos momentos a derrubam ao fogo destruidor de um inferno jamais experimentado antes.A paixão avassaladora anda de mãos dadas com o prazer e o sofrimento, exige dos envolvidos muito mais que uma confiança, faz o que é normal tornar-se gigante , a lente de aumento é a característica principal nos olhos dos apaixonados. Tudo é maravilhoso, menos a distância que cada dia aumenta a tensão e faz o coração entrar na escorregadia estrada da desilusão. A mente é invadida por sonhos fantasiosos levando o corpo a sensações de êxtase total, porém esses mesmos sonhos tornam-se em pesadelos, os quais elevam o nível de adrenalina  a ponto da mente explodir e soltar palavras como se fossem adagas envenenadas e pontiagudas, as quais penetram o coração alheio sem pena , sem decência, apenas com o objetivo certo de ofender e matar quem mais se ama. Exemplo perfeito de paradoxo. Amamos , porém desejamos a morte para o alvo de nossa paixão, e quando atingimos nosso objetivo sofremos tanto que a morte seria o mais alto preço pela punição de nossos atos. Entenda quem puder, pois a paixão não é inteligível à mente apaixonada. Com tudo isso, a razão responde: - Não é bom se apaixonar, o bom é a frieza do coração a longevidade da razão, pois o coração apaixonado torna o corpo um escravo, doente,torna a mente confusa e a pessoa um ser totalmente dependente. Dependente de drogas que aliviam a dor, não a dor da mente, mas as dores do corpo causadas pela tristeza da mente demente.

Atryu.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Crepúsculo



















 No crepúsculo encontro a minha dor, um lugar que criei para me esconder, esconder um sentimento que não desaparece, que durante tempos e mais tempos me enlouquece.
O sol vai embora e leva com ele meu riso, fica apenas o meu verdadeiro eu que continua gritando e pedindo socorro...Ó céus, até quando irá deixar sobre mim a tua ira, até quando não vai lembrar de mim?
A espada de dois gumes me atravessou o coração e as gotas de angústia caem uma a uma me dando a paga pela minha maldade. Os dias se esquecem da minha existência, somente a noite me acompanha, persiste em permanecer ao meu lado. Tento fugir para outros mundos, por momentos até consigo, porém quando o crepúsculo chega, traz com ele a escuridão e me obriga a entrar na caverna negra, onde correntes enferrujadas seguram minha alma , onde escuto a melodia de uma voz suave que me prende e me acusa junto a minha culpa. Ó céus, até quando irá deixar sobre mim a tua ira, até quando não vai lembrar de mim?

Atryu.


quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Óh tempos!















Óh tempos, como poderia ter um sorriso sincero tendo o peito adormecido e a alma seca?
Como deixar de rastejar a procura de vida?
Como voltar a saltitar de alegria como criança quando ganha um brinquedo bonito?
Óh sonhos, onde vocês se esconderam?
Como posso abraçar suas lindas dádivas novamente?
Permitir o pincel colorir meus dias apagados, tornando-os brilhantes como o jaspe reluzente!

Vida, venha, te convido a entrar e fazer parte do meu ser,
venha correndo, quero te abraçar com ternura,
Te amar com grande doçura.

Óh tempos, faze-me enxergar novamente a beleza e a feiura que me rodeia,
É tudo que te imploro, mas não me deixe assim sem sentir,
Dor, óh grande dor, volte a me visitar,
Volte a fazer-me chorar,
Quero ter esperança de um dia, outra vez nas alturas caminhar.


Sofhia.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Vem primavera




















Os dias se concluem, e com eles às esperanças da menina sonhadora... 


O frio finalmente assume seu lugar, arromba as portas e senta-se no trono de maneira arrogante, como se tudo fosse somente dele. 
São poucos que adoram a estação do frio, do gelo, a maioria que experimenta e sofre com ele, não deseja sua chegada. No entanto temos que aceitar a natureza que Deus criou, não é assim que enunciamos quando não temos respostas para certar conjunturas?

O inverno está sendo tão rigoroso comigo! Lágrimas quentes rolam pelo meu rosto e meu coração chora baixinho... Todas as manhãs o frio me desperta, penso que no próximo dia será diferente , porém quando abro os olhos , sinto sua presença junto de mim novamente.

Abro a gaveta ao lado de minha cabeceira e toco em um vidro frio de um acabado perfume, induzo até perto de meu rosto e sinto o perfume que inebria meus sentidos, fico ali a apreciar o nada e aos poucos as imagens vão se materializando em minhas recordações...
Lembranças de momentos de intenso amor, carinho, conversas intermináveis... Eu esperando à hora chegar para escutar a doce melodia de uma voz que cantava ao pé de meu ouvido, proferindo palavras doces que me faziam acreditar no amor e que esse amor seria meu para sempre...

 Um “sempre” que acabou!

 Nunca compreendi esse, “Para Sempre”, pois eu pensava que fosse sinônimo de eterno, inacabável, infindável, perene, permanente. Uma vez que me convencia disso a cada palavra dita, porém eu, somente eu, não sabia que naquele “sempre” havia um fim, um fenecimento que não finaliza jamais para a menina que escutou, acreditou e amou. Um fim que dura e que hoje ainda maltrata e faz agonizar uma alma romântica, a qual se esconde atrás de uma mulher padecida, que usa uma mascara de camuflagem, que luta e segue em frente, porém permanece estagnada no meio do caminho.
   
Hoje o dia está tão frio! Queria poder correr ao meu amor e me abrigar em seus abraços, àqueles que um dia me foram prometidos, os quais pensei que me pertenciam, pois foram faladas por um anjo fiel.

O inverno deixa tudo tão feio! Os dias se tornaram cinzentos e sem a vivacidade do sol, anseio tanto que a primavera chegue!  Quero me aconchegar e dormir aquecida em suas tonalidades coloridas. Deslembrar a estação que corta a pele, que congela os dedos e fere os mal agasalhados.
Minha alma grita e exige pelo dia que nunca chega, pela felicidade que se desvia, pelo carinho que consola, pelo calor que alivia.

Vai embora geada maldita que destrói plantações! Vai embora vento forte que aniquila os telhados dos pobres desabrigados.
Consinta as flores abrolharem! Admita os passarinhos cantarem!
Permita meu coração cicatrizar, deixe minha alma aliciar e com facilidade esquecer, as sombras que insistem e me fazem padecer.

Atryu.

sábado, 26 de maio de 2012

Aquela Madrugada

















Os meus olhos te despiam vagarosamente, sem pressa eles percorriam e desenhavam teu corpo.
Você ali ao meu lado de olhos fechados, parecia um anjo dormindo, estava tão lindo! 
Então eu sem você perceber, apreciara suas curvas perfeitas e ouvia e via seu coração se movimentando dentro de ti, algo eterno que marcou minha memória...
Eram quatro horas da madrugada quando por curiosidade olhei para o relógio. 
Você dormia de frente para mim, foi a imagem mais rara e perfeita que vi.

Olhos fechados, cabelo desarrumado, pele quente e rosada!

Fiquei muito tempo contemplando o seu descanso, mas aos poucos fui adormecendo e acordando em seus braços.

Sentia tua boca colando na minha, teu corpo aquecendo o meu, tua mão me puxando para cima de você...
Tua boca me mordia parecendo estar com fome, me devorava como uma fera desesperada por comida... Eu me entreguei e aos poucos aos delírios cheguei. Já não era mais sonho, sentia a força de seus braços me apertando e você quase gritando.
Com minha boca fui beijando sua pele e percorri seu corpo que naquele momento eu tinha certeza, era meu, somente meu.
Minhas mãos deslizavam e não se cansavam de passear sobre você,  eu sentia o fogo o qual me queimava viva e fazia meu sangue ferver. Deixei meus lábios provarem e saborearem gostos açucarados e exóticos, os quais hipnotizavam meus sentidos e davam novas experiência ao meu paladar. Degustava cada pedacinho seu, engolia o doce e o salgado que seu corpo expelia, ao som de seus sussurros e gemidos indescritíveis.

O tempo decorria e nós nos amávamos sem pressa...

Em um momento, quando as gotículas de suor caiam de seu rosto e tocavam o meu, eu abri os olhos e te observei...

Você continuava sobre mim, sua pele perfumada e molhada colava na minha,  seu cabelo encharcado de nosso amor, exalava o fragrância, o odor que sai dos apaixonados quando estão viajando por lugares fora da dimensão natural, percorrendo outros mundos, os quais só conhecem os alucinados e abrasados pelo amor.
Naquele momento nós dançávamos na melodia criada pela paixão de dois indivíduos, duas almas arrebatadas!

Foi a música mais fascinante que escutei e junto de ti dancei...Nunca esquecerei , eternamente lembrarei...

Sofhia.

domingo, 13 de maio de 2012

Essa música















Escutando essa música sinto o teu cheiro e teu gosto, mas também sinto a ponta dessa adaga que continua cravada no meu coração e fica cavocando minha carne fazendo o sangue gotejar devagarzinho atormentando minha alma triste.
Quando acredito que tudo está desaparecendo de minha memória,  corro depressa para dentro de uma caverna fria e escura, acredito que meu coração está congelando, então deito minha cabeça em uma pedra e fecho meus olhos com esperança, porém nesse instante o veneno maldito acende a chama perturbadora dentro de minhas lembranças, e a angústia me faz gritar...
A dor é tão grande que mesmo a maior dose de morfina não seria capaz de me aliviar. 
Estou aqui novamente pensando em alguém que nem sabe que eu existo! 
Clamando por socorro continuo, mas ninguém escuta, ninguém vem ao meu encontro. Minha vontade de ter você comigo é o que alimenta essa doentia esperança, e isso não me deixa viver em paz. 
Sinto um nó na garganta, mas continuo escutando essa música... Ela me destrói por dentro, mas essa é a única maneira que eu ainda posso ter você perto de mim!
As lágrimas alimentam minha fome e sede de sentir o teu gosto. Fecho meus olhos e mergulho em você, sou feliz na angústia, sou feliz na dor que é  única companheira na solidão de minha realidade! Exclamo e choro por você, sei que você não virá, mas pelo menos nessa música eu posso te abraçar, e se é na tristeza que eu te encontro, então minha angústia será minha alegria.

Atryu.


segunda-feira, 23 de abril de 2012

O seu amor















Um dia , mais dois e mais todos os dias de um longo período de dor, sentimentos que ferem a alma dos doentes feridos de amor.
Longe muito distante quando os pensamentos se transformam em dias coloridos, em jardins floridos, lá eu vejo você.
Cabelos lindos caídos sobre os ombros, rosto rosado gelado do frio, sorriso maroto e olhar vazio.
Perto me achego e vou tocando sua pele branquinha como neve, quente como fogo que acende a chama que me chama para junto de ti.
A paixão esquenta e minha alma alimenta a sede que desperta em meu exterior.
Você me envolve e me aperta em seus braços ,vai colando tua boca na minha!

Aos poucos nos enrolamos e nos atamos. Corpos nus se tocam sem pudor, envolvidos apenas nos lençóis do amor.
O gosto gostoso de seus beijos me levam a pisar nas nuvens mais fofas e macias, cada toque meu corpo  arrepia, e flutua em dimensões jamais almejadas, sonhadas!

Nosso encontro só termina quando as estações mudam...

Jardins floridos e dias coloridos, dão lugar a tempos enegrecidos.

O inverno me desperta com o dia vazio e rua deserta.
E  longe, muito distante, eu enxergo você partindo, então começo a contar um dia, mais dois e mais todos os dias sem amor, o seu amor meu amor.

Atryu.

terça-feira, 27 de março de 2012

O ponto ideal.
















Existe dias em que paramos para ouvir uma música e deixamos nossos pensamentos visitarem  lugares que não gostaríamos.
O tempo passa, porém tem coisas que jamais esqueceremos.
Quase tudo na vida não é como havíamos sonhado um dia.
Quando eu era criança tinha sonhos e vontades, pensava que um dia iria realizá-los. A infância foi tão triste...
Mesmo assim os sonhos continuaram, eles sempre estiveram ali, em algum lugar dentro do meu coração, o tempo passou e o mundo das coisas belas nunca chegaram a serem tocadas por mãos reais.
As teias da maldade iam aos poucos me cercando, eu , apesar de não querer parecer inocente, me deixava iludir por contos de fadas.
A vida anda e nós crescemos, ficamos adultos, e nessa trajetória pensamos que por sermos adultos, somos intocáveis,  que ninguém mais é capaz de nos maltratar, pois adulto sabe se defender, engano nosso! Crescemos, porém dentro de nós continuamos achando que os sonhos são realizáveis, maior erro que cometemos.
Hoje, depois de estar acostumada com os sofrimentos que a vida  proporciona, entendo que apesar de sermos adultos, muitas vezes continuamos com um coração de criança, pois olhamos para o futuro e acreditamos que ainda temos a chance de sermos realizados, de termos encontrado o grande amor de nossa vida, mas a teia da infelicidade não tece sem objetivo.
Sei que sonhos são para serem sonhados , não vividos. Sei que o mais importante é se contentar com o que a vida nos proporciona, amar nossos filhos, cuidar dos nossos pais e irmão, amar até quem não nos ame de verdade, pois contos de fadas só existem nos livros, os quais, não deveriam serem lidos para as crianças, deveriam ser proibidos, porque eles ensinam o irreal, ensinam mentiras, as quais só existem no mundo das letras.
Hoje sei que o mais importante é a verdade, é ter os dois pés no chão, pois músicas, poesias, contos e sonhos, são mentiras inventadas por fracos e infelizes. Eu mesma, muitos poemas escrevi, eles sempre falavam de um amor inalcançado, um amor que só existia dentro de mim, eram apenas sonhos que nunca foram realizados e agora mais que nunca sei que foram apenas ilusão de um coração infantil.
O tempo faz a gente pensar e enxergar a vida como realmente ela é. Cheia de espinhos, dificuldades e tristezas. A morte nos tira as pessoas que mais amamos, a vida nos engana e nos tira outras...
Então para que essa demagogia barata que se espalha com tanta eficácia? O amor é uma farsa, e quem discorda, que olhe para seu próprio umbigo e veja se está realizado! A vida é apenas um círculo onde alguns tentam encontrar a felicidade no dinheiro, outros no poder, outros no sexo, e assim sucessivamente.
Felicidade é utopia, porém não é isso que nos ensinam na escola, nos livros, nos filmes, na podridão das novelas...
Acho que apenas o tempo é capaz de nos ensinar a não acreditar em mentiras. As crianças deveriam ser alertadas a saber que sonhos não existem, deveriam saber com antecedência que a vida é dura e que contos de fada são inventados por pessoas infelizes, e que a felicidade não existe é apenas uma ilusão.

Volto a escutar a mesma música, meu coração bobo ainda sente vontade de sonhar, só que agora eu o sufoco e não o deixo, pois sei que a melodia pode ser bonita, mas a realidade é feia.
A música continua a me tocar, mas tento tornar meu coração em pedra, acredito que em breve não sentirei mais nada, acredito que esse ponto é o ideal.

Atryu.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Queria poder sorrir, queria poder viver de verdade...
















Me calo diante dos acontecimentos que vejo diante de mim.
Do que presencio sem querer.
Meu silêncio já é freguês.
Meu olhar, meu olhar é desinteressado.
Tantas pessoas, tantas histórias, tantos sonhos e tantas mágoas nessa mesma estrada onde me dou conta de também estar.
Seria viver um ato de pura vontade ou pura sorte?
O espelho nunca mostra o que realmente quero ver.
Mas o que de fato eu desejo ver?
O que sentir?
O que amar?
Ou o que sonhar?
Em quem ou no que acreditar?
A realidade é um veneno?
Tento abrir meus olhos para o que pode ser a verdade, mas não consigo ver.
Não consigo.
O torpor mental em que me encontro já não faz diferença.
A depressão já se tornou obsoleta diante de mim e de minha alma.
Alma.
Um ser.
Uma consciência.
A reclusão nunca foi tão convidativa e o amor nunca foi tão confuso.
Preso em minha própria teia de ações onde cada fio corta-me, lembrando- me do que fiz a mim mesmo numa época onde não havia preocupações, então vivo uma vida questionável.
Nunca soube o que valorizar, nunca soube onde estar.
Essa minha máscara pesa
Deus, como pesa.
Queria poder sorrir, queria poder viver de verdade...

Albert Sollrak.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012























Tudo foi apenas como uma nuvem de fumaça que o tempo dissipa, e foi tão depressa!
Promessas e palavras que pareciam sinceras e eternas duraram tão pouco!


Atryu.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Menino















Espinhos ardem cravados em meu coração que sangra sem parar, gotas espessas caem e tingem o chão pintando os sonhos que junto de ti sonhei.

Menino, você me fez flutuar nas loucuras de uma paixão afetuosa, andei sobre às nuvens que mais pareciam flocos de neve sobre as montanhas no inverno.
Menino, com beijos você me roubou a alma, com ternura me roubou a vida.
Ofegante mergulhei eu tuas promessas, de olhos fechados lhe dei meu futuro.
Menino, com você eu quis atingir o inalcançado, deixei meu sangue se misturar com o teu.
Doei-me sem reservas, fui tua, somente sua.
Menino, hoje ainda ouço sua voz que sussurra ao meu ouvido, vejo você nas noites que meus olhos não se fecham.
Te espero sentada na calçada deserta, na janela solitária, nas palavras dos poetas.
Menino, não demore, pois estou qual índia solitária, à qual olha para o mar esperando o barco apontar no horizonte.
Menino, não demore, minha vida tem horas, e os minutos não esperam...

Atryu.

Loucura



















Pela janela olho para o infinito,
Espero ver o teu rosto brilhando,
loucura ou amor, não sei!
Imagino o ranger da porta se abrindo, Imagino você chegando!
A paixão mudou meus sentidos,
Não quero mais o gosto doce do mel,
Não sinto mais a brisa fresca no vento,
Sei que você não virá,
Mas como uma doida, continuo esperando você chegar.

Atryu.

Escuridão













Entreguei-me humildemente aos teus encantos, cedi m'alma fascinada de desejos.
Você era a ponte que me tirava das trevas.
Você era a luz que preenchia a escuridão que me cercava,
Você era minha vida, minha alma.
Você se foi...

Atryu.

Sem identitade
















Sou a sobra do nada, a flor murcha em um jardim destruído,
Sou a dor murmurando, sou a morte chorando.

Atryu.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Saudade






















Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade,Saudade, saudade, saudade, saudade.

Atryu.


quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Um pouco de mim.


















Sou do signo de Virgem...


Se você estiver procurando por uma secretária ou dona-de- casa perfeita, provavelmente deve procurar alguém de outro signo. O principal dom da mulher de Virgem é sua inteligência, não sua capacidade de organização. Se você encontrou o tipo de virginiana compulsivamente caseira e que tira pó três vezes por dia, está em maus lençóis, porque está diante de uma virginiana que usa os rituais para se esconder de grandes emoções explosivas.

Há muitas mulheres de Virgem que têm interesse por seus lares e gostam de um ambiente organizado e bonito. Porém, o que realmente importa é seu bom gosto, sutileza e compreensão. Ela também é fortemente perspicaz a respeito das pessoas e da vida. Mas, é claro, tem defeitos. A virginiana pode ser terrivelmente auto-suficiente e, muitas vezes, é difícil vê-la "casada" no sentido mais profundo da palavra. Existe uma parte da virginiana que é psicologicamente intocável e, se você tentar invadir esse espaço privado e secreto, é provável que você produza a mesma reação que teria se estivesse tentando roubá-la.

Mulheres de virgem não são do tipo cheio de apegos e necessidades. É mais comum reconhecer nelas um grau assustador de capacidade e de eficiência, tanto física quanto mentalmente. Falta de sorte, se você quer ser o Sol em torno do qual uma parceira lunar orbita. Pode ficar feliz em refletir sua luz.

A mulher de Virgem tem suas próprias idéias e opiniões e uma profunda necessidade de comunicá-las. Algumas virginianas falam tanto, que são capazes de fazê-lo cobrir as orelhas e começar a berrar só para parar aquele som. Pode ser que ela não esteja usando o famoso senso crítico virginiano, e sim falando tudo sobre o último livro que leu, ou comentando sobre o problema que teve de solucionar na sua programação de trabalho, ou analisando e dissecando psicologicamente alguma pessoa que escolheu ultimamente.

Se você está atrás do tipo belo e silencioso, esqueça. Virginianas também têm uma propensão enfurecedora de questionar seu conhecimento. Diga algo a ela e ela pedirá a fonte da informação com dados completos, incluindo notas de pé de página. Pessoas de Virgem não acreditam em ninguém até que tenham em mãos suas referências completas. É difícil saber mais que uma virginiana, pois elas absorvem o conhecimento como uma esponja na água. Isso pode ser uma maravilha para a sua elasticidade intelectual e um horror para o seu ego.

Algumas virginianas são do tipo Mãe-Terra e expressam a sensibilidade do signo no amor pela natureza e pela cura, e através de seu dom para todo tipo de trabalhos manuais. Essa necessidade de ser útil atrai muitas virginianas às profissões de auxílio, desde enfermagem até dietética, da psicologia e psiquiatria a vários tipos de cura alternativa.

O verdadeiro calor e luz de Virgem levam tempo para emergir por trás de sua frieza e desapego aparentes. Para uma virginiana, é difícil ser espontânea. É freqüente só conseguir demonstrar amor fazendo coisas práticas pelos seus seres amados. Emoções intensas são ameaçadoras e podem ser demonstradas somente em um clima de confiança total. Quebre essa confiança e você obterá a língua afiada e sarcástica de Virgem, que pode ser letal, porque ela esteve observando com um cuidado minucioso todas as fraquezas que você achava que ninguém estava notando. As mulheres de Virgem têm um hábito desconcertante de descobrir a manga rasgada cuidadosamente escondida e o tique nervoso que você pensava estar sob controle. Elas observam minúcias porque o aspecto mais amplo da vida se reflete nas pequenas coisas. As virginianas têm orgulho dessa capacidade e querem ser respeitadas pelas suas realizações.

Essa mulher irradia um ar misterioso que poderá soar como um aviso: "Mantenha-se à distância!". Na verdade, isso significa: "Bem-vindo, mas respeite meu espaço." A virginiana faz do exercício de ser ela mesma uma arte. Ela não irá adorá-lo cegamente. É mais provável que ela o ame pelas suas imperfeições, pois é realista e compassiva e gosta de se sentir útil e necessária. Se sua vaidade é importante para você, essa característica poderá assustá-lo e fazê-lo correr na direção oposta, ou essa poderá ser uma experiência incrivelmente inspiradora e refrescante de tornar-se o ser humano que você de fato é.


Sônia.



sábado, 1 de outubro de 2011

Esperança




















 Para os sensíveis o viver sempre será complicado, pois tudo o que acontece é sempre sentido com abundância. A vida vai passando, os fatos acontecendo, e nós experimentando tudo.
Somos maus compreendidos porque não sabemos controlar os sentimentos que dentro de nós se movimentam, sim eles se agitam... 
Lembro-me de um vulcão agora, sereno por um tempo, porém chegado o tempo certo, a grande explosão. Assim somos nós, os chamados - Sensíveis - Sei que isso incomoda as pessoas que convivem conosco, mas incomoda muito mais a nós mesmos, pois além de possuirmos as emoções na flor da pele, percebemos o que os outros estão sentindo também.

O mais difícil nisso tudo é saber e ter consciência de que, muitas vezes, estamos magoando as pessoas que nos amam, e sem ter forças para simplesmente parar, cometemos atos destrutivos, os quais saltam de dentro de nós como se fossem reflexos, sem ao menos pedir licença.
Isso tudo só é compreendido por indivíduos sensíveis, ninguém é capaz de saber ou imaginar o que uma pessoa sensível vive no decorrer de sua existência. Quando penso nas dores que já causei em outros não aceito meus atos, então já sinto a depressão chegando e na maioria das vezes nem licença solicita, é atrevida, enfia o pé na porta e entra com tudo.

Mal compreendidos, deixados de lado, atormentados...

Quando olho para o nada, eu sempre exclamo! Há como eu queria ser diferente, se eu pudesse seria como uma pedra, pois assim não perceberia nada!

Hoje olho para quase tudo que já se passou em minha insignificante existência e penso...
A vida passa velozmente, ontem eu era uma menina que andava de balanço, hoje sou uma pessoa cheia de dores e quase sem serventia... Então percebo que não vivi a vida como deveria, concluo que quase tudo que fiz poderia ter sido melhor, e novamente aquela sensibilidade...

Desta maneira vai acontecendo, os anos chegando, à vida passando, tudo tão depressa!

Em certa ocasião um artista disse que havia me desenhado, quando olhei o desenho fiquei irritadíssima, não sabia o porquê de tanta irritação, entretanto hoje eu sei.
Ele me colocou presa dentro de uma torre bem alta, onde eu olhava para o céu, em meus olhos havia aparentemente alegria, entretanto não era alegria, ele sem saber pintou minha alma, uma criança sem inocência, meu olhar me denunciava, eu estava presa em um passado triste, o qual havia me roubado a alegria de viver.
Na pintura a menina olhava para o céu e os pássaros que voavam. Hoje sei que ela almejava a liberdade. Cobiçava ser como eles, livre...
Na época não conseguia decifrar a pintura, mas hoje eu vejo claramente que ali estava uma menina com alma de mulher, uma menina que carregara para sempre sua inocência perdida.
Dizem que os artistas enxergam diferente das outras pessoas, eu sempre cri desta maneira, e hoje posso compreender o porquê aquele pintor passou em minha vida, foi para me dizer que eu não estou sozinha nesse mundo cruel onde os sensíveis também coexistem. É bom saber que não estamos sozinhos, isso nos dá certo conforto, e nos tira um pouco o sentimento de solidão.

E como a menina da torre, eu continuo com o mesmo desejo...

Queria ter asas como um pássaro para voas nas alturas e assim olhar tudo com outros olhos e esquecer esse mundo cruel, o qual fui compelido a aceitar!
Minha esperança, sim eu ainda tenho esperança, quem sabe minha vida na morte será mais feliz... Espero.

Atryu.







sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Eterno















No mais alto monte eu subirei, mesmo não tendo asas eu voarei... Um dia novamente te amarei...
Nem o ódio da humanidade inteira teria forças para submergir um amor tão verdadeiro quanto àquele que nasce em um coração cheio de sonhos.
Tempos vividos e percorridos pela eternidade serena das canções, caminhos pisados pelos ritmos mais intensos no encontro das notas musicais, entrelaçados pela canção dos anjos na língua, a qual somente um ser divino poderia compreender, foi ali, naquele fragmento de tempo que aconteceu a união dos corações separados.
Incompreendidos por todos, escondido nas profundezas dos oceanos dos segredos, vivido a cada amanhecer pelas aspirações em que somente o amor traz à existência.
Encontro que pode acontecer uma vez em cada século, ou apenas uma vez em milhares de milhões de séculos, se é que os séculos existem...
Duas vidas que se precisam, que se carecem, separadas na distância dos tempos, esmagadas pelo ciúme daquele que devora os sonhos e decompõe os sentimentos.
Sonhos rompidos, corações abstraídos, solidão..., Porém, no mais alto monte eu subirei, mesmo não tendo asas eu voarei... E um dia novamente te amarei.
Nesse dia a música será tocada, a canção será cantada..., A dor evadirá da presença dos amores feridos, dos corações sofridos..., A altura será alcançada e a leveza dos sonhos se transformará em luz fulgente, e eu verei teu rosto novamente, para sempre...
No mais alto monte eu subirei, mesmo não tendo asas eu voarei... Um dia novamente te amarei e para sempre te terei..

Sol.